Juízes denunciam alteração em eleições na Nicarágua

René Herrera e José Marenco asseguram que dados publicados recentemente na imprensa local foram alterados

EFE

16 de novembro de 2008 | 01h31

A denúncia de dois juízes liberais do Conselho Supremo Eleitoral da Nicarágua (CSE), que identificaram alterações nas publicações dos resultados das eleições municipais realizadas no domingo passado, antecede a manifestação de protesto convocada pela oposição para defender os votos que consideram que foram "roubados" deles.   A manifestação pacífica de protesto será realizada em León, 90 quilômetros a oeste de Manágua, onde a Polícia anunciou um plano especial para evitar distúrbios.   Os sandinistas convocaram uma "caravana do triunfo" para a mesma cidade, considerada a "capital da revolução" e que já foi palco, em setembro, do início da campanha eleitoral, de confrontos entre seguidores do presidente Daniel Ortega e a oposição, com paus, pedras, canos e até morteiros artesanais.   A passeata da oposição, "em defesa do voto roubado", marcada para este domingo, vai terminar na Catedral de León, onde serão recebidos pelo bispo da cidade.   Os juízes liberais René Herrera e José Marenco asseguraram em entrevista coletiva que os dados provisórios oficiais publicados recentemente na imprensa local, em um anúncio pago pelo órgão eleitoral, não coincidem com os relatórios anteriores.   "Essas mudanças são inadmissíveis", disse Herrera, que rejeitou qualquer responsabilidade sobre o conteúdo dos dados divulgados através da imprensa.

Tudo o que sabemos sobre:
NICARÁGUAELEIÇÕES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.