Justiça argentina vai investigar Kirchner

A Justiça argentina investigará o ex-presidente Néstor Kirchner, marido da atual presidente, Cristina Kirchner, e o poderoso ministro do Planejamento, Julio de Vido, por causa de uma denúncia de associação ilícita feita pela líder oposicionista Elisa Carrió. Vários outros funcionários e ex-funcionários públicos estão envolvidos na investigação preliminar apresentada por parlamentares do partido Coalizão Cívica, o segundo mais votado nas eleições nacionais de 2007. Fontes judiciais disseram à Reuters na terça-feira que o juiz federal Julián Ercolini acatou um requerimento do promotor Gerardo Pollicita para investigar se houve irregularidades na contratação de obras públicas, na administração de concessões para jogos de azar e nas relações com a Venezuela, entre outras. A gestão de Kirchner (2003-07) já havia sido afetada por denúncias anteriores envolvendo a licitação de um gasoduto e o financiamento eleitoral da sua esposa. (Reportagem de Damián Wroclavsky)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.