Justiça chilena vota recurso da família Pinochet

Revelação do resultado só acontecerá na sexta-feira, segundo fontes judiciais

Efe,

23 de outubro de 2007 | 00h47

A Justiça chilena votou na segunda-feira, 22, a resolução sobre os recursos apresentados a favor da viúva, filhos e colaboradores do ditador Augusto Pinochet, processados por suposto desvio de fundos públicos. Mas adiou para sexta-feira, 26, a revelação do resultado, segundo fontes judiciais. Os juízes da V Sala da Corte de Apelações votaram nesta segunda-feira os 13 recursos. Mas falta ainda a redação das decisões judiciais, que provavelmente será concluída na sexta-feira, disseram as fontes de tribunais. Os recursos, analisados caso a caso, tentam anular a decisão do juiz Carlos Cerda. No dia 4 de outubro, ele submeteu a processos como autores de desvio de fundos públicos a viúva de Pinochet, Lucía Hiriart, os seus cinco filhos, colaboradores do ditador e vários militares. Segundo o expediente do caso, Pinochet acumulou uma fortuna superior a US$ 26 milhões em contas no exterior, utilizando 10 nomes falsos. Mais de US$ 20 milhões aparecem sem justificativa legal e uma parte corresponderia a fundos reservados da Presidência da República, desviados para as suas contas através da "Casa Militar", um comitê assessor militar que operava no Palácio de La Moneda (sede do governo). Quando morreu, em dezembro, Pinochet estava sendo processado como autor de fraude tributária e uso de passaportes falsos.

Tudo o que sabemos sobre:
PinochetChile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.