Justiça peruana condena irmão de líder opositor Humala à prisão

A Justiça peruana condenou nesta quarta-feira o irmão de Ollanta Humala, o mais destacado líder opositor do país, a 25 anos de prisão por uma rebelião vista como um suposto golpe ao possível candidato à próxima eleição presidencial. Seis pessoas morreram no episódio.

REUTERS

16 de setembro de 2009 | 20h19

Depois de um julgamento que se estendeu por quase um ano e meio, a Justiça condenou Antauro Humala pela invasão da delegacia da cidade de Andahuaylas em 2005, no sul do país, onde morreram quatro policiais e dois civis.

Os promotores pediram 35 anos de prisão.

O nacionalista Ollanta Humala concorreu à presidência do Peru em 2006, quando suas críticas à política pró-mercado inquietaram os investidores estrangeiros, recebendo apoio do presidente venezuelano, Hugo Chávez.

Atualmente, Humala tem 13 por cento das intenções de voto para a presidência nas próximas eleições, o que o coloca no terceiro lugar da preferência dos eleitores, atrás de Keiki Fujimori e Luis Castañeda, segundo a mais recente pesquisa Ipsos Apoyo.

Keiko Fujimori é filha do ex-presidente Alberto Fujimori, e Castañeda é o prefeito de Lima.

(Reportagem de Patricia Vélez)

Tudo o que sabemos sobre:
PERUHUMALAJUSTICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.