NASA/AP
NASA/AP

Karl torna-se furacão e ruma para o leste do México

Ciclone ainda deve ganhar força; nenhum dano foi registrado até o momento

Reuters

16 de setembro de 2010 | 15h05

CIDADE DO MÉXICO - O furacão Karl formou-se no sul do Golfo do México na quinta-feira e poderá ganhar força rapidamente enquanto se desloca para a costa leste mexicana, informou o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, na sigla em inglês). 

Karl encontrava-se na categoria 1 de furacões, com ventos de no máximo 120 quilômetros por hora. Nenhum dano havia sido registrado nas plataformas de petróleo marinhas mexicanas da região.

"Karl pode ganhar força de furacão importante antes que o centro atinja a costa mexicana", informou o Centro Nacional de Furacões. "Karl deverá ganhar força de forma constante e possivelmente com rapidez."

A tempestade é o sexto furacão da temporada 2010 do Atlântico. Desses, quatro tornaram-se "grandes" furacões, atingindo categoria 3 ou mais na escala de cinco pontos de Saffir-Simpson. Ao meio-dia do horário de Brasília, a tempestade localizava-se cerca de 240 quilômetros a oeste de Campeche.

A gigante estatal mexicana Pemex não reduziu as operações, mas informou que monitoraria o progresso de Karl enquanto ele estivesse passando pela baía de Campeche, no Golfo, onde é produzida a maior parte dos 2,55 milhões de barris diários do México. Dois dos principais portos exportadores de petróleo do país fecharam enquanto a tempestade passava pelo Golfo.

A Pemex suspendeu a atividade de pequenas embarcações para as plataformas da baía, mas não havia registro de dano a qualquer instalação petrolífera do local, disse um funcionário da companhia.

Tempestades da baía de Campeche têm potencial de causar sérios transtornos à produção de petróleo do México, mas raramente chegam sul o bastante para causar problemas. O México foi o terceiro maior fornecedor de petróleo bruto aos EUA durante a primeira metade deste ano, de acordo com a Administração da Informação sobre Energia dos EUA.

Tudo o que sabemos sobre:
MéxicoKarlfuracão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.