Laboratório espanhol confirma que menino colombiano é Emmanuel

Teste de DNA de um laboratório daEspanha confirmou que um menino sob proteção da Colômbia éEmmanuel, que as Farc haviam prometido libertar junto com suamãe, a política Clara Rojas, e uma ex-congressista, informou aPromotoria na quarta-feira. O resultado do teste de um laboratório de Santiago deCompostela ratificou um exame similar da Promotoria colombianaque, com um grau de probabilidade muito alto, estabeleceu nasexta-feira que o menino registrado com o nome de Juan DavidGómez é o filho que Rojas teve no cativeiro, fruto de umarelação com um guerrilheiro. "O teste de DNA estabeleceu que as provas genéticas deram99,9 por cento de fidelidade, o que demonstra que Juan David éfilho de Clara Rojas", disse à Reuters uma fonte da Promotoriacolombiana. O garoto está sob proteção do governo colombiano desde2005, depois que os rebeldes das Forças Armadas Revolucionáriasda Colômbia (Farc) o deixaram com um camponês em El Retorno, nodepartamento de Guaviare. O homem se viu obrigado a levá-lo a um hospital e pelodelicado estado de saúde do menino, os médicos decidiramentregá-lo ao Instituto Colombiano de Bem-Estar Familiar queposteriormente determinou sua transferência para a cidade deSan José del Guaviare e a Bogotá. (Reportagem de Luis Jaime Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.