Líder do Panamá diz a Merkel que país quer adotar euro

O Panamá gostaria de introduzir o euro como moeda legal juntamente com o dólar, disse o presidente panamenho, Ricardo Martinelli, à chanceler alemã, Angela Merkel, nesta segunda-feira durante uma visita à Europa.

STE, Reuters

15 de outubro de 2012 | 14h05

"No Panamá, a moeda em livre circulação é o dólar norte-americano e eu disse à chanceler que nós estamos procurando maneiras de o euro se tornar outra moeda de circulação legal e ser aceito no mercado panamenho", afirmou o presidente Ricardo Martinelli, em entrevista coletiva conjunta com Merkel em Berlim.

Martinelli não forneceu detalhes sobre a mudança, mas expressou "plena confiança" nas economias alemã e europeia, e disse que espera que a crise de dívida da zona do euro passe logo.

Dezessete dos 27 países-membros da União Europeia estão na zona do euro, mas o euro também está em circulação em alguns países fora da UE, incluindo Kosovo e Montenegro nos Balcãs, os pequenos Mônaco e Andorra, e territórios ultramarinos.

A economia dolarizada do Panamá --a quase 10.000 quilômetros do continente europeu-- é uma das que mais cresce na América Latina, com expansão de 10,6 por cento no ano passado, ajudada por gastos com infraestrutura pesada, incluindo a expansão do Canal do Panamá.

Temores dos mercados financeiros de um possível colapso da moeda única diminuíram desde que o Banco Central Europeu afirmou estar pronto para comprar quantidades ilimitadas de dívida soberana para reduzir os custos de financiamento dos países mais vulneráveis, como a Espanha.

Mas Merkel, líder da maior economia do bloco da moeda única, disse que a Europa precisa perseverar com medidas de austeridade duras e avançar para uma maior união bancária, fiscal e política, a fim de garantir o futuro do euro.

(Reportagem de Stephen Brown)

Tudo o que sabemos sobre:
PANAMAMERKELEURO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.