Líder rebelde do EPP procurado por sequestros é morto no Paraguai

Severiano Martínez , contra quem havia cinco ordens de prisão, foi morto durante confronto com a polícia

Reuters,

28 de julho de 2010 | 22h52

ASSUNÇÃO- Um dos homens mais procurados pelas forças de segurança do Paraguai, por liderar um grupo armado de esquerda responsável por sequestros e assassinatos, foi morto nesta quarta-feira, 28, depois de um confronto com a polícia no noroeste do país, informou o Ministério do Interior.

 

Seu assassinato representa um alívio para o governo do presidente Fernando Lugo na luta para capturar os líderes do Exército do Povo Paraguaio (EPP), um pequeno grupo treinado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que pretende se tornar um movimento armado semelhante à guerrilha colombiana.

 

O ministro do Interior, Rafael Filizzola, explicou em entrevista coletiva que Severiano Martínez foi localizado pela polícia na região de Agua Dulce, no Chaco paraguaio, uma área inóspita e isolada que faz fronteira com a Bolívia.

 

"Nos informaram que foi localizado, notificado e ele respondeu com tiros. Aí houve um tiroteio", disse Filizzola ao explicar a operação que começou na madrugada de terça-feira e terminou com a morte do homem, contra quem havia cinco mandados de prisão.

 

Martínez era acusado de sequestrar María Edith de Devernardi, a esposa de um rico empresário que foi liberada com pagamento de resgate depois de meses no cativeiro, e de capturar e matar a filha do ex-presidente Raúl Cubas, em 2004.

 

O governo do socialista Lugo enfrenta uma forte pressão para encontrar os líderes do EPP, que também são acusados de atacar postos policiais e militares e de colocar um artefato explosivo na sede do Poder Judiciário.

 

Depois da morte de um policial e de três trabalhadores rurais supostamente pelo grupo meses atrás, Lugo declarou um estado de exceção em cinco departamentos do norte que liberou os militares a atuar, mas a medida terminou sem a captura do grupo.

 

(Reportagem de Daniela Desantis)

Tudo o que sabemos sobre:
EPPFarcParaguaiguerrilhaFernando Lugo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.