Livreiro de Houston arremata relíquias de Che por US$ 119 mil

Valor final do leilão dos objetos ficou bem abaixo do estimado pela Heritage Auction Galleries

Efe,

26 de outubro de 2007 | 04h32

Um livreiro de Houston (Texas, Estados Unidos) arrematou uma coleção de objetos de Che Guevara, inclusive uma mecha de cabelo do revolucionário argentino, leiloada pela empresa Heritage Auction Galleries. Veja também: Galeria de fotos  Bill Butler, que possui uma livraria, participou do leilão por telefone e levou a coleção por US$ 119.500. O valor final ficou bem abaixo do estimado pela Heritage Auction Galleries, informou a empresa, com sede em Dallas (Texas). O comprador pretende expor em sua loja os objetos leiloados. Entre eles estão fotografias, mapas da missão de captura do Che na Bolívia, em outubro de 1967, o texto de uma mensagem interceptada que ajudou a localizar o grupo rebelde e as impressões digitais do guerrilheiro. O livreiro texano é um colecionador de objetos e livros relacionados com Che Guevara. A Heritage Auction Galleries acreditava que poderia arrecadar milhões de dólares. Entre as pessoas que mostraram interesse nas peças havia um representante do governo venezuelano. Mas o leilão atraiu muito menos interesse do que o previsto e foram poucas as pessoas que ofereceram lances. Os objetos leiloados pertenciam ao ex-agente da CIA Gustavo Villoldo, que foi assessor da missão de detecção e captura de Guevara na serra da Bolívia. Ele cortou a mecha de cabelo antes de enterrar o guerrilheiro, em 9 de outubro de 1967, um dia depois de ele ser executado com o peruano Juan Pablo Chang e o boliviano Willy Cuba. Os três foram detidos por soldados do corpo de Rangers do Exército boliviano. O então presidente René Barrientos ordenou pessoalmente que eles fossem executados e Villoldo foi encarregado de enterrar os corpos. O ex-agente guardou durante quatro décadas as relíquias. Mas decidiu se desfazer delas para encerrar uma etapa de sua vida marcada pela luta contra o castrismo cubano. O leilão causou reações negativas entre os admiradores do guerrilheiro. A Heritage Auction recebeu ameaças em mensagens eletrônicas.

Tudo o que sabemos sobre:
Che Guevararelíquiasleilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.