Lobo comemora vitória em Honduras

Processo eleitoral teve apoio de países como Estados Unidos, Alemanha e França

Reuters e Associated Press

30 Novembro 2009 | 05h33

O candidato conservador de oposição Porfirio Lobo ganhou com facilidade no domingo, 29, as eleições em Honduras.  Lobo, um rico proprietário de terra, obteve mais de 61,86% dos votos em mais de 62% do que foi contabilizado pelo Supremo Tribunal Eleitoral hondurenho. Porfirio Lobo já se declarou vencedor e prometeu unidade nacional.

 

 

Porfirio "Pepe" Lobo, candidato do Partido Nacional de Honduras celebra com sua esposa Rosas

 

 

Veja também:

 

link Micheletti diz que entrega do poder a Lobo será incondicional

linkPolícia e manifestantes pró-Zelaya se enfrentam

especialEspecial: Para entender o impasse em Honduras

especialCronologia do golpe de Estado em Honduras

 

Seu rival mais próximo, Elvin Santos do Partido Liberal (PL) ficou com 38,08%, e já reconheceu a derrota. A apuração chegou a 62%.

 

A eleição pode trazer calma a cinco meses de crise desde que o presidente Manuel Zelaya foi deposto em junho e levado, de avião, ao exílio.

 

Enquanto Washington recomenda a votação de domingo, países da América do Sul - Brasil, Argentina, Venezuela - e outros da América Latina dizem que a eleição é inválida porque tem respaldo em uma cúpula de líderes e pode pôr fim a qualquer esperança de Zelaya retornar ao poder e completar seu mandato, que vence no final de janeiro.

 

Temos que agradecer aos países que "expressaram que vão aceitar nosso processo", afirmou Lobo a respeito dos Estados Unidos, Alemanha, Colômbia, Costa Rica, México, Panamá, Japão, Itália, Suíça, Indonésia, Emirados Árabes Unidos e França, informou a AFP.

 

Mais conteúdo sobre:
Honduras eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.