Kent Gilbert/AP
Kent Gilbert/AP

Lobo criará conselho de ex-presidentes com Zelaya e Micheletti

Conselho assessor contará ainda com empresários, jornalistas, religiosos e outros ex-líderes de Honduras

Efe,

19 de janeiro de 2010 | 08h33

O presidente eleito de Honduras, Porfirio Lobo, anunciou nesta terça-feira, 19, a criação de um conselho assessor com ex-governantes, no qual incluirá Manuel Zelaya e Roberto Micheletti, protagonistas da crise política vivida pelo país desde 28 de junho de 2009.

 

Veja também:

linkZelaya anunciará se deixa Honduras ou não após posse de Lobo

linkCongresso dá a Micheletti título de 'deputado vitalício'

especialEspecial: Para entender o impasse em Honduras

especialCronologia do golpe de Estado em Honduras  

 

Nesta data, Zelaya foi derrubado por militares em um golpe de Estado e foi expulso de Honduras. Micheletti, até então presidente do Parlamento, foi escolhido no mesmo dia pela própria casa para ocupar a Presidência hondurenha.

 

Segundo Lobo, que assume o poder no próximo dia 27, este conselho servirá para assessorá-lo em assuntos do Governo. Haverá outro formado por representantes de empresários, das Igrejas Católica e Evangélica, de jornalistas e de outros setores.

 

Em declarações à imprensa, Lobo disse que o conselho de ex-presidentes será formado por Roberto Suazo Córdova (1982-1986), Rafael Callejas (1990-1994), Carlos Flores (1998-2002), Ricardo Maduro (2002-2006), "mais o presidente Zelaya e o presidente Micheletti". Os outros dois ex-governantes civis, José Azcona (1986-1990) e Carlos Roberto Reina (1994-1998), já morreram.

 

No caso de Zelaya, que está abrigado na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa desde 21 de setembro, "se estiver em boa saúde, também vai fazer parte dos ex-presidentes assessores", disse. Entretanto, Lobo admitiu não ter falado ainda nem com Zelaya, nem com Micheletti.

 

A ideia de integrar esse conselho de ex-chefes de Estado, explicou, é "receber deles a experiência que tiveram". Zelaya e Micheletti pertencem ao governante Partido Liberal, assim como Suazo Córdova e Flores. Lobo, Callejas e Maduro são do Partido Nacional, rival histórico dos liberais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.