Reynaldo Brito/AP
Reynaldo Brito/AP

Lobo pede aos EUA que negociem volta de Honduras a OEA

Segundo secretário de Estado americano para América Latina, medida deve demorar, mas está bem encaminhada

estadao.com.br,

28 de janeiro de 2010 | 12h16

O novo presidente de Honduras, Porfírio "Pepe" Lobo, pediu aos EUA que ajudem seu país a voltar à Organização dos Estados Americanos (OEA), disse nesta quinta-feira,28, o subsecretário de Estado para Assuntos Hemisféricos, Arturo Valenzuela.

Fim da crise em Honduras:

link Volta de Zelaya ao país reduziu violência, diz Amorim

 linkAntes de sair, Micheletti retira Honduras da Alba

 linkEx-presidente diz que deixa governo de facto com sucesso

"Lobo entende que isso requer alguns passos. Não é algo de um dia para o outro, mas está bem encaminhado", disse Valenzuela, segundo a agência France Presse.

Lobo assumiu ontem o poder para tentar por fim a uma crise de sete meses, detonada com a posição do ex-presidente Manuel Zelaya, em junho.

Zelaya, que desde setembro estava na embaixada do Brasil em Tegucigalpa, deixou ontem o país rumo à República Dominicana, na condição de " hóspede especial".  Ao embarcar, ele prometeu voltar ao país.

Honduras foi expulsa da OEA após o golpe de 28 de junho. Os países latino-americanos pressionaram o país para que o presidente de facto Roberto Micheletti devolvesse o cargo à Zelaya, mas ele permaneceu no cargo e conduziu o processo eleitoral que levou à eleição de Lobo.

Micheletti presidiu o país até ontem, mas não participou da cerimônia de posse do novo chefe de Estado.

VEJA TAMBÉM:
especial Cronologia da crise em Honduras
som Honduras vivia expectativa, diz enviado
especial Entenda o impasse no país

Valenzuela assistiu à cerimônia junto com seu secretário-adjunto, Craig Kelly, e o secretário de Estado para Assuntos Econômicos, Negócios e Energia para América Latina, José W. Fernández. A eles se juntou o embaixador dos EUA no país, Hugo Llorenz.

"Os EUA são amigos de Honduras. Temos uma história conjunta muito antiga e queremos trabalhar em temas de interesse conjunto", acrescentou Valenzuela. "Estamos vendo com os outros países do continente como podemos fazer este trabalho no seio da OEA".

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasLoboOEAEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.