Lula compara libertação de cubanos à sua própria durante a ditadura

Presidente lembrou o dia em que foi solto no primeiro comentário sobre a decisão do governo de Cuba

Célia Froufe, da Agência Estado

14 de julho de 2010 | 16h25

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez nesta quarta-feira, 14, uma comparação entre a recente libertação dos presos políticos de Cuba com a sua saída da cadeia durante a Ditadura Militar.

 

 

"Fiquei feliz (com a liberação dos cubanos)como fiquei feliz quando fui solto da cadeia", acrescentando que no dia de sua liberação aproveitou para soltar um pássaro preto que possuía e que estava numa gaiola. Ele fez este comentário durante assinatura de acordos bilaterais entre Brasil e União Europeia, realizada no Itamaraty em Brasília.

 

Na ocasião, ele foi questionado por um jornalista sobre se o Brasil não poderia ter auxiliado na libertação dos cubanos, dada a proximidade com os irmãos Castro. A libertação dos presos foi intermediada pela Igreja Católica. "Parabéns à Igreja Católica, parabéns ao governo cubano", disse. "Deus queira que todos os países soltem seus presos políticos", acrescentou o presidente.

 

No fim da semana passada, o governo cubano anunciou um acordo com o Arcebispado de Havana para soltar os 52 presos políticos restantes dos detidos em 2003 no episódio conhecido como Primavera Negra. Nove deles já chegaram a Madri, na Espanha, e novas libertações são esperadas para os próximos dias. Segundo o governo, todos eles estarão livres em no máximo quatro meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.