Lula destaca papel do Brasil na reconstrução do Haiti

Presidente pediu a ajuda dos países ricos e disse que o Brasil colocou US$ 15 milhões à disposição dos haitianos

Agência Estado,

18 de janeiro de 2010 | 09h38

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira, 18, que o País tem uma função muito importante na reconstrução do Haiti, depois do terremoto que aconteceu na última terça-feira, 12, pois coordena a Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah) há cinco anos. No primeiro programa semanal de rádio "Café com o Presidente" de 2010, Lula afirmou que o planeta está mobilizado para ajudar os haitianos, mas que isso deve ocorrer de uma maneira mais acelerada. De acordo com ele, a solidariedade precisa converter-se em dinheiro para tornar possível uma existência mais digna aos haitianos depois do drama vivido por eles.

 

Lula disse esperar que todo o mundo, sobretudo os países mais ricos, ajude o Haiti com recursos econômicos para que haja a reconstrução. "O momento agora é de colocar a mão no bolso e ajudar. O Brasil já colocou US$ 15 milhões à disposição do Haiti e nós achamos que têm países que podem dar mais", declarou. "Agora, é preciso ter uma coordenação para que esse dinheiro chegue para quem precisa e que esse dinheiro possa servir para reconstruir o Haiti."

 

Segundo o presidente, a prioridade é assegurar água e alimentos para a população haitiana, conforme as necessidades. "O que não pode acontecer é a gente ficar recolhendo coisas que depois nem os próprios haitianos precisam", considerou.

 

Refinaria

 

Lula também abordou a visita que fez para o lançamento da pedra fundamental e a abertura das obras da Refinaria Premium I da Petrobras, em Bacabeira (MA), na semana passada. Na análise do presidente, esta é uma ação que ajudará numa política de crescimento regional mais igualitária para o Brasil.

 

"Nós poderíamos dizer que é a grande revolução industrial que vai acontecer no Estado do Maranhão. É importante saber que a última refinaria feita pela Petrobras foi nos anos 80. Portanto, há 30 anos a Petrobras não fazia uma refinaria", ressaltou. O investimento total na unidade será de R$ 40 bilhões.

 

A primeira fase entrará em funcionamento em 2013 e a segunda, em 2015. A previsão é começar refinando 300 mil barris por dia e, até 2015, chegar aos 600 mil barris/dia. No pico das obras, serão 26 mil trabalhadores e, somando empregos diretos e indiretos, esse número pode chegar a 130 mil. Lula disse que o governo pretende construir uma refinaria deste porte também no Ceará.

 

"Eu acho que essa é uma política de desenvolvimento regional que não tem mais volta. Ou seja, o Brasil aprendeu que não adianta você ter um, dois, três, quatro Estados muito ricos e o restante pobre. É preciso que a gente tenha uma distribuição das possibilidades de investimentos em todo o território nacional, para que o Brasil cresça de forma mais igualitária, mais justa e mais solidária", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaHaitiPetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.