Lula diz que País segue disposto a ajudar Colômbia para paz

Em encontro com presidente, Álvaro Uribe agradeceu colaboração brasileira em libertação de reféns das Farc

Efe,

17 de fevereiro de 2009 | 16h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira, 17, que o Brasil continua disposto, sempre que pedirem, a ajudar a Colômbia no que for necessário para alcançar a paz, e lembrou a recente colaboração brasileira no processo para libertar reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Veja também:Presidente colombiano é recebido por Lula em BrasíliaPor dentro das Farc Histórico dos conflitos armados na região   "Continuamos à disposição para ajudar no que for preciso, sempre e quando pedirem", afirmou Lula, em um pronunciamento que fez após seu encontro nesta terça, em Brasília, com o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe. A pedido da Colômbia, o Brasil prestou apoio logístico este mês à Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) em uma operação que terminou com a libertação de dois políticos, três policiais e um militar que estavam sob poder das Farc. Os sequestrados foram resgatados em helicópteros cedidos pela Força Aérea Brasileira. "Foi uma operação que abriu esperanças para a libertação de outras pessoas que estão sequestradas na Colômbia e para o início de um processo que permita alcançar a paz na Colômbia", disse Lula. Uribe, que nesta terça conclui sua primeira visita de Estado ao Brasil, agradeceu a colaboração brasileira, especialmente pelo caráter discreto. "Obrigado pela cooperação oportuna e pelo apoio discreto e eficaz do Brasil à Cruz Vermelha Internacional. Obrigado pelo apoio discreto para colaborar com a Colômbia na busca da segurança e da paz", disse Uribe, em seu pronunciamento. O líder colombiano terminará nesta terça em Brasília, onde também se reunirá com os presidentes das câmaras legislativas e do Judiciário, a visita que começou na segunda-feira, em São Paulo, com uma reunião com empresários brasileiros.

Tudo o que sabemos sobre:
Álvaro UribeLulaColômbiaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.