Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Lula e Bachelet rechaçam bases dos EUA na Colômbia

Presidentes querem discutir tema na próxima reunião do Conselho de Defesa da Unasul, no dia 10 de agosto

Anne Warth, da Agência Estado, e Associated Press,

30 de julho de 2009 | 15h25

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente do Chile, Michelle Bachelet, se colocaram contra a instalação de bases militares americanas na Colômbia, que tem gerado conflitos entre o presidente do país, Álvaro Uribe, e o presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Durante encontro nesta quinta-feira, 30, Lula e Bachelet afirmaram concordar com a ideia de discutir o assunto na próxima reunião da União das Nações sul-americanas (Unasul) no dia 10 de agosto em Quito, por meio da convocação dos ministros que fazem parte do Conselho de Defesa da organização.

 

"Eu e Michelle concordamos que a soberania de um país é intocável e nós não entramos em discussão sobre a soberania de nenhum país", afirmou Lula. "A mim não me agrada mais uma base norte-americana na Colômbia. A mim não me agrada, mas como eu não gostaria que Uribe desse palpite nas coisas que eu faço no Brasil, eu prefiro não dar palpite sobre as coisas de Uribe. Vamos conversar pessoalmente porque nós temos liberdade e confiança para ter um diálogo livre e aberto no dia 10 em Quito."

 

Veja também:

link Venezuela acusa Colômbia de arriscar a paz na região

link Aumenta tensão diplomática entre Caracas, Bogotá e Quito

link Brasil pede 'transparência' de Bogotá em acordo com EUA

link Comércio bilateral já vinha sofrendo com disputas  

 

A presidente chilena concordou com a afirmação. "O Chile nunca teve uma base norte-americana, mas acho que o momento para falar sobre isso será em Quito. Certamente, muitos países estão inquietos com essa situação", disse.

 

Ambos ainda rechaçaram o golpe de Estado em Honduras, apoiando a restituição do presidente deposto, Manuel Zelaya. Lula ainda respaldou o pedido do governo chileno para reeleger em 2010 o secretário-geral da Organização dos Estados Americano(OEA), o "companheiro" chileno José Miguel Insulza. Bachelet também manifestou apoio para que o Brasil ocupe um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

 

4ª Frota dos EUA

 

Lula da Silva disse que o governo brasileiro, em algum momento, terá de se reunir com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para discutir a questão da Quarta Frota norte-americana, que foi reativada no ano passado para atuar nas Américas do Sul e Central. Lula ressaltou que já havia feito um pedido ao ex-presidente dos EUA George W. Bush para debater o assunto.

 

"Em algum momento, nós vamos ter de conversar com o presidente Obama, porque nós já mandamos uma carta ainda quando era o presidente Bush sobre a questão da Quarta Frota. Mandamos uma carta dizendo que nós não víamos com bons olhos a ideia da Quarta Frota porque me parece que a linha territorial dela é quase que em cima do nosso pré-sal", afirmou, durante entrevista coletiva concedida ao lado da presidente do Chile, Michelle Bachelet, na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Lula destacou que esse tipo de questão deve ser debatida "com muito cuidado" para não gerar conflito com outros países.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilEUAColômbiaChile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.