Marco Bello/Reuters
Marco Bello/Reuters

Maduro diz que EUA pretendem ordenar à oposição que sabote eleições

O presidente venezuelano fez também duras críticas ao governo colombiano em um encontro com a coalizão governista

EFE

04 Fevereiro 2018 | 00h50

CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse neste sábado, 03, que os Estados Unidos e suas "oligarquias aliadas no continente", como "Bogotá", querem impor à oposição venezuelana a "linha da abstenção e a sabotagem" para as eleições presidenciais que deverão acontecer no país antes de maio.

Maduro fez estas declarações em um encontro com a coalizão governista Grande Polo Patriótico (GPP).

"Por isso é que o lixo de (presidente Juan Manuel) Santos em Bogotá declara que não vai reconhecer as eleições presidenciais na Venezuela (...) Vou te dizer algo: (...) e se a Venezuela vivesse a tragédia histórica de ganhar a oposição Juan Manuel Santos tampouco reconheceria isso? Imbecil, estúpido", continuou Maduro.

+++ Maduro é oficializado candidato à reeleição na Venezuela

No dia 26 de janeiro, Santos, disse que seu país não reconhecerá o resultado das eleições presidenciais na Venezuela se não forem realizadas com as devidas garantias, e pediu à comunidade internacional que tampouco o aceite.

O presidente venezuelano disse que na "Venezuela não manda Santos" nem o presidente americano, Donald Trump, mais sim os venezuelanos. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.