Maduro e Capriles trocam raro aperto de mãos em reunião sobre violência

Cumprimento ocorre em meio a comoção nacional por morte de ex-miss em assalto

O Estado de S. Paulo,

08 de janeiro de 2014 | 21h38

Rivais trocaram cumprimento raro no Palácio de Miraflores. Foto: Divulgação/ Palácio de Miraflores / AP

CARACAS  - Depois de meses de insultos, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro,  e o líder da oposição, Henrique Capriles, trocaram na noite de quarta-feira, 9,  um raro aperto de mãos. O gesto, inédito desde o seu impasse eleitoral do ano passado, ocorreu em uma reunião sobre violência urbana convocada após o assassinato da  ex-miss venezuelana Monica Spear . 

Maduro rotineiramente chama Capriles de "fascista" e "assassino", enquanto o líder da oposição critica seu rival como "incompetente" e "ilegítimo". No entanto, eles deixaram as diferenças de lado para se cumprimentarem brevemente durante uma reunião de emergência convocada por Maduro com governadores no palácio presidencial de Miraflores. Capriles é o governador do Estado de Miranda, um dos mais afetados pela criminalidade.  O encontro deles não deve mudar o cenário político, já que os dois permanecem distantes na polarizada nação sul-americana.

O assassinato da ex-miss Venezuela e atriz de novela  na segunda-feira abalou o país de 29 milhões de venezuelanos."Estou em Miraflores. Irei a qualquer lugar pela questão de segurança dos venezuelanos. Há um clamor nacional para acabar com a violência", disse Capriles no Twitter.

O opositor, de 41 anos, ainda não reconheceu publicamente a Presidência de Maduro, embora suas alegações de fraude tenham perdido força nos tribunais.  Maduro, de 51 anos, havia dito anteriormente que qualquer um que não tenha reconhecido a sua liderança não seria autorizado a entrar no palácio, mas vem mostrando uma atitude mais conciliatória com a oposição.  / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Venezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.