Mãe de filho reconhecido por Fernando Lugo nega estupro

Viviana volta atrás e diz que relacionamento começou quando ela tinha 23 anos; paraguaio em ao Brasil em maio

Associated Press e Efe,

28 de abril de 2009 | 12h01

Viviana Carrillo, a mãe do filho reconhecido pelo presidente do Paraguai, Fernando Lugo, negou nesta terça-feira, 28, que houve estupro. Segundo ela, a relação amorosa do casal começou quando ela tinha 23 anos, e não aos 16, quando ainda era menor.

 

A primeira mulher a revelar que tinha um filho com o presidente encontrou-se com a promotora Nancy Salomón, acompanhada do advogado Marcos Fariña, para cumprir o requisito de confirmação da identidade. "O presidente vive acompanhando seu filho Guillermo Armindo, que goza de muito boa saúde; nos damos bem", afirmou. "Vim dizer à promotora Nancy Salomón que Fernando (Lugo) nunca me forçou a ter relações sexuais com ele, além disso nossa relação começou quando eu tinha 23 anos, portanto não houve estupro."

 

Questionada se pode se converter em primeira-dama, substituindo a irmã mais velha do presidente, Mercedes Lugo de Maidana, respondeu: "Não, não, está bem assim. Prefiro ser uma boa mãe".

 

A acusação de estupro foi apresentada no dia 23, pela senadora oposicionista Lilian Samaniego, presidente do Partido Colorado. O advogado disse que a promotora deve agora resolver se há motivos para o início de uma investigação. Caso contrário, deve recomendar a um juiz o arquivamento do caso.

 

A senadora lembrou, em entrevista, que entrou com o pedido de investigação na justiça porque Viviana disse, em seu pedido de reconhecimento da paternidade, que foi seduzida pelo então bispo quando tinha 16 anos de idade. Lugo reconheceu o filho e depois a própria Viviana retirou a declaração.

 

Benigna Leguizamón, de 25 anos, é a segunda mulher que entrou na justiça paraguaia exigindo que Lugo reconheça a paternidade de seu filho, de 6 anos. Deve ser feito um exame de DNA nesse caso. Uma terceira mulher que supostamente teve um filho com Lugo, Damiana Hortensia Morán, disse a jornalistas que não tomou a decisão sobre se entra ou não com um pedido judicial de paternidade para seu bebê, de 1 ano e 4 meses.

 

Visita ao Brasil

 

Lugo fará uma visita oficial ao Brasil no próximo dia 7 de maio para discutir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assuntos bilaterais e regionais. A visita estava prevista inicialmente para 8 de abril e depois foi anunciada para 29 desse mesmo mês, embora também não tenha se concretizado.

 

Porta-vozes da Presidência brasileira confirmaram que agora está previsto que Lugo se reúna na quinta-feira, 7 de maio, com Lula em Brasília. No dia seguinte, embora ainda não esteja definido, Lula e Lugo devem viajar juntos ao Mato Grosso do Sul, para a inauguração do Trem do Pantanal, que visa a promover o turismo na região.

 

Na reunião que Lula e Lugo terão em Brasília o assunto central será as queixas do Paraguai em relação à represa de Itaipu, cuja propriedade é dividida entre ambos os países. O Paraguai pretende modificar o tratado que regula as operações e termos da sociedade, o que conta com a oposição do Brasil, já que o próprio acordo estabelece que não pode se modificar até seu vencimento, em 2023.

Tudo o que sabemos sobre:
Fernando LugoParaguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.