Mãe volta a pedir libertação de Ingrid Betancourt às Farc

A mãe da ex-candidata a presidente daColômbia Ingrid Betancourt, sequestrada desde 2002 pelasguerrilhas da Farc, disse na terça-feira esperar que o grupo,depois de anunciar a libertação de três reféns, decida tambémsoltar sua filha. Segundo nota divulgada na terça-feira pela agência estatalcubana Prensa Latina, as Forças Armadas Revolucionárias daColômbia estariam dispostas a entregar os reféns ao presidenteda Venezuela, Hugo Chávez. Os reféns foram identificados como sendo Consuelo González,Clara Rojas, que era candidata a vice de Betancourt, e o filhodela, Enmanuel, nascido no cativeiro. Yolanda Pulecio, mãe de Betancourt, disse estar segura deque a decisão das Farc foi resultado da mediação de Chávez e dasenadora colombiana Piedad Córdoba, suspensa em novembro porordens do governo colombiano. "Dou graças a Deus que a guerrilha tenha tomado essadeterminação e não tenho a menor dúvida de que seja pelamediação do presidente Chávez e de Piedad", disse Pulecio portelefone à TV pública venezuelana VTV. "O único que peço à guerrilha é que também leve em contaminha filha, que está sofrendo tanto, e que por favor tambémfaça algo para libertar Ingrid." As Farc classificaram a libertação dos três reféns como umato de "desagravo" para os parentes dos sequestrados. Há tentativas de negociações com o governo para libertarcerca de 50 reféns, inclusive Betancourt, em troca de centenasguerrilheiros presos. (Reportagem de Ana Isabel Martínez)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.