Mario Ruiz/EFE
Mario Ruiz/EFE

Maioria dos peruanos quer impeachment de presidente por elo com Odebrecht

Segundo pesquisa do Ipsos, maior parte da população quer que Congresso afaste Pedro Pablo Kuczynski

Reuters

11 Março 2018 | 20h15

A maioria dos cidadãos do Peru quer que o presidente Pedro Pablo Kuczynski renuncie ou seja afastado da Presidência pelo Congresso, revelou uma pesquisa do instituto Ipsos publicada pela imprensa local neste domingo.

Kuczynski escapou por uma margem apertada de um processo de impeachment em dezembro, mas parlamentares de oposição fazem uma nova tentativa de afastar o presidente de centro-direita pelas suas ligações com a empreiteira Odebrecht.

+ Farc transfere sua batalha para o Congresso na Colômbia

A pesquisa aponta que 58 por cento dos peruanos querem que o presidente seja impedido pelo Congresso, contra 37 por cento que defendem sua permanência no governo. Um número similar, 56 por cento, gostaria que Kuczynski renunciasse para que o vice-presidente Martin Vizcara possa assumir.

O presidente peruano tem consistentemente negado qualquer situação ilegais ou impróprias nos pagamentos que sua firma de consultoria teria recebido da Odebrecht quando ele era ministro, há mais de 10 anos.

+ Raúl deixará poder com avanço no setor privado, mas reformas paradas

“Eu vou me defender e não vou renunciar porque não fiz nada de errado”, disse Kuczynski a um grupo de apoiadores na última sexta-feira. A votação do novo pedido de impeachment, apresentado pelos partidos de esquerda Frente Ampla e Novo Peru, será marcada para depois da fala do presidente a um comitê investigativo do Congresso sobre suas conexões com a Odebrecht no próximo dia 16.

A aprovação do presidente peruano se mantém em 19 por cento, e a desaprovação a seu governo está em 76 por cento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.