Mais de 140 fogem de prisão na fronteira México-EUA

Mais de 140 presos escaparam na madrugada de sexta-feira de uma penitenciária mexicana próxima à fronteira com os Estados Unidos, em um novo sinal da precariedade do sistema carcerário do país.

ROBIN EMMOTT, REUTERS

17 de dezembro de 2010 | 19h24

Lentamente, os 149 presos saíram pelo portão principal da penitenciária, nos arredores de Nuevo Laredo, segundo duas fontes policiais do Estado de Tamaulipas (norte).

"Eles saíram pela porta da frente, o que indica cumplicidade dos agentes carcerários", disse uma fonte policial, pedindo anonimato.

O Ministério Público confirmou a fuga em Nuevo Laredo, cidade vizinha à texana Laredo, mas não deu mais detalhes, nem mesmo confirmando o número de fugitivos.

Militares e policiais federais cercaram a penitenciária. A polícia disse que muitos dos presos cumpriam penas por narcotráfico.

Várias outras falhas de segurança têm sido registradas no norte do México, uma região muito conflagrada pela atual "guerra às drogas" no país.

No passado, o presidente Felipe Calderón fez promessas de moralizar o sistema carcerário, impedindo que grandes traficantes vivessem com luxos em suas celas, continuassem comandando suas quadrilhas e fugissem quando tivessem vontade. Mas o presidente conservador tem tido dificuldades para combater a corrupção e a violência dentro das cadeias.

Em setembro, 85 presos fugiram de uma penitenciária em Reynosa, cidade fronteiriça próxima a Nuevo Laredo. Em julho, autoridades descobriram que agentes carcerários permitiam que presos deixassem uma penitenciária no Estado de Durango (noroeste) para se vingar de ataques - os presos voltavam para suas celas à noite.

Em 2001, Joaquín "El Chapo" Guzmán, chefe do Cartel de Sinaloa e homem mais procurado do México, fugiu de uma prisão de segurança máxima em um carro de lavanderia.

Tudo o que sabemos sobre:
MEXICOFUGAPRISAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.