Manifestantes celebram democracia e protestam contra Chávez

Na comemoração do 50º aniversário do fim da ditadura na Venezuela, manifestação reúne 500 oposicionistas

Efe,

23 de janeiro de 2008 | 19h53

Cerca de 500 estudantes e simpatizantes de vários partidos da oposição venezuelana se concentraram numa praça em Caracas nesta quarta-feira, 23, para comemorar os 50 anos do fim da ditadura e protestar contra o atual governo do presidente Hugo Chávez. Os manifestantes, convocados pelos partidos opositores no 50º aniversário da deposição do general Marcos Pérez Jiménez, pediram a liberdade para os presos políticos e a ampliação da anistia que Chávez decretou no final do ano.   Alguns dos oradores participantes da manifestação acusaram o presidente venezuelano de por em risco a democracia obtida há cinqüenta anos. Segurando cartazes com a mensagem "23 de Janeiro, luta pela democracia, ontem, hoje e sempre", os manifestantes reunidos na praça Morelos também pediram a reabertura do canal privado Radio Caracas Televisión (RCTV), que teve sua concessão encerrada em maio do ano passado e não conseguiu a renovação pelo governo.   Horas antes da manifestação, sete partidos opositores ao presidente Chávez firmaram o que foi determinado de Acordo de Unidade Nacional frente às eleições municipais e estaduais que ocorrerão na Venezuela no fim do ano. O texto faz referência a uma ação política de respeito a pluralidade ideológica, a propriedade privada e a uma maior segurança pública, entre outras propostas.

Tudo o que sabemos sobre:
Hugo ChávezmanifestaçãoVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.