Gaston Brito/Reuters
Gaston Brito/Reuters

Manifestantes na Bolívia queimam bandeira da Venezuela e estátua de Che Guevara

População protesta contra o aumento no preço dos combustíveis; outras mobilizações ocorrem no restante do país

Efe,

31 de dezembro de 2010 | 03h22

LA PAZ - Manifestantes bolivianos queimaram nesta quinta-feira, 30, uma bandeira da Venezuela e uma estátua do guerrilheiro Ernesto Che Guevara, durante protestos contra a alta do preço dos combustíveis.

A imprensa local mostrou a bandeira venezuelana queimada no centro de La Paz em meio a gritos de protestos contra o presidente venezuelano, Hugo Chávez, aliado do líder boliviano, Evo Morales.

 

Já em El Alto, outro grupo de manifestantes fez uma fogueira aos pés de uma estátua de Che Guevara, guerrilheiro admirado pelo presidente boliviano.

Além disso, manifestantes também atacaram na cidade de Cochabamba as sedes dos cocaleiros e do partido de Morales, o Movimento ao Socialismo (MAS).

 

Nesta quinta-feira, comerciantes, motoristas e professores participaram de passeatas, bloqueios e mobilizações nessas cidades, além de Oruro, Tarija e Santa Cruz.

Tais grupos costumavam apoiar Morales, mas recriminaram a decisão de subir o preço da gasolina e do diesel entre 57% e 82%.

 

Em El Alto, os manifestantes incendiaram e saquearam os escritórios estatais de cobrança de pedágio na estrada para La Paz e apedrejaram prédios municipais e sindicais governistas.

O Ministério de Governo (Interior) informou que os protestos deixaram 15 policiais feridos, dois deles com gravidade, dez em Cochabamba, quatro em El Alto e um em La Paz.

 

A Polícia deteve 16 pessoas em Cochabamba e cinco em El Alto.

Em entrevista coletiva, o ministro do Interior, Sacha Llorenti, pediu calma à população e assegurou que a Polícia está mobilizada para garantir a segurança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.