Máquina do 'Plano B' retoma trabalhos para resgatar mineiros no Chile

Perfuradora T-130 superou 300 metros de profundidade; resgate deve começar em 15 de outubro

Efe e AP,

29 de setembro de 2010 | 17h50

SANTIAGO- A perfuradora T-130 superou os 300 metros de profundidade em seus trabalhos para o resgate dos 33 mineiros presos em uma mina no norte do Chile, um "marco importante" para o chefe dos socorristas, André Sougarret. No entanto, o engenheiro afirmou que será "difícil" manter o ritmo rápido alcançado durante as últimas horas.

 

Veja também:

especialInfográfico: animação mostra como será o resgate

especialLinha do tempo: os piores acidentes da década

 

Ela havia interrompido seus trabalhos Às 18h local de ontem para a manutenção dos martelos e outros ajustes.

 

"É difícil que possamos manter um ritmo tão alto", disse Sougarret à Rádio Cooperativa sobre os cerca de 80 metros que a máquina do "Plano B" avançou hoje.

 

A máquina alcançou os 301 metros na ampliação do túnel de 632 metros que há havia sido escavado na primeira etapa.

 

Sougarret reiterou que em 15 de outubro estará "tudo pronto" para a fase final do resgate, mas seu início dependerá da data da finalização do túnel definitivo do "Plano B".

 

"Isso tem tempos que todavia não podemos adiantá-los e continuamos mantendo os primeiros dias de novembro como uma data com segurança em que vamos desenvolver o resgate", afirmou.

 

O engenheiro ressaltou que, apesar da perfuração da T-130 ser a mais rápida, não está isenta de riscos, já que aos 500 metros de profundidade nos martelos da máquina passarão a só um metro de uma antiga galeria da mina. "É um risco que temos de resolver para não romper essa parede", declarou Sougarret.

 

A perfuradora Strata 950, responsável pelo "Plano A", chegou a 526 metros de profundidade de um total de 702 que deve alcançar para depois alargar o túnel.

 

A máquina petroleira RIG 421, o "Plan C", a única que cava diretamente um túnel de 66 cm de diâmetro, atingiu hoje 122 metros de profundidade.

 

Os 33 mineiros sobreviveram por 19 dias com uma dieta racionada de duas colheres de atum enlatado, um gole de leite e meio biscoito a cada 48 horas, até serem descobertos pelas autoridades.

Tudo o que sabemos sobre:
mineirosminaresgateChile

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.