Marido de Ingrid faz apelo a Lula para libertação da refém

Publicitário diz que este é o 'momento perfeito' para presidente ajudar na libertação da ex-parlamentar

Gabriel Pinheiro, do estadao.com.br,

31 de março de 2008 | 22h06

O marido de Ingrid Betancourt, o publicitário Juan Carlos Lecompte, fez um apelo nesta segunda-feira, 31, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para que intervenha na libertação de sua esposa. Em entrevista ao Programa do Jô, Lecompte disse que "este é o momento perfeito" para a intervenção do presidente na libertação da refém franco-colombiana, que está em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) há seis anos.   Veja também: Ingrid Betancourt precisa de transfusão de sangue, diz rádio Colômbia diz que helicóptero do Equador violou espaço aéreo Conheça a trajetória de Ingrid Betancourt  Ex-marido teme que acordo signifique morte de Betancourt Uribe autoriza troca de Ingrid por rebeldes das Farc Por dentro das Farc  Entenda a crise  Histórico dos conflitos armados na região      O publicitário confirmou que a ex-parlamentar estaria sofrendo de hepatite tipo B, leishmaniose e malária, conforme havia sido divulgado mais cedo pela imprensa colombiana. Lecompte acrescentou ainda que Ingrid teria sofrido "abusos sexuais" pelos rebeldes das Farc. "Ingrid é maltratada porque continua firme as suas convicções e confronta os guerrilheiros a todo o momento", disse.     Segundo o publicitário, ele já tentou falar com Lula, mas nunca teve oportunidade de chegar até o presidente. E colocou que o apoio do presidente brasileiro é importante, já que o País é um dos mais importantes da América Latina. Lecompte afirmou que vem buscando o apoio de outros países latinoamericanos para aumentar a pressão sobre as Farc e assim conseguir a libertação da ex-candidata presidencial.   Lecompte disse ainda que considera as Farc uma organização terrorista e que a intermediação de Chávez é muito importante. "Chávez tem nos ajudado muito e, graças a ele, seis reféns foram libertados. Se a operação colombiana que resultou na morte de Raul Reyes não tivesse ocorrido, outros reféns, entre eles a própria Ingrid, estariam livres. Chávez é uma pessoa idônea para resolver a questão dos seqüestros e é respeitado pela guerrilha", colocou o publicitário.   Nesta segunda-feira, a rádio colombiana Caracol informou  que a refém precisaria com urgência de uma transfusão de sangue, que não foi realizada. Segundo a emissora, a ex-candidata à Presidência colombiana "não foi levada a nenhum posto de saúde" da região, contrariando as versões que dizem que ela foi internada em um centro médico no final de fevereiro e se recusa a tomar medicamentos.   Ingrid está em poder das Farc desde 23 de fevereiro de 2002, e é uma das 40 reféns que a guerrilha pretende trocar por 500 guerrilheiros presos, em uma negociação de um acordo humanitário com o governo colombiano. Acredita-se que a refém é mantida em San José del Guaviare, capital do departamento de Guaviare.   Apesar de o estado de saúde da ex-parlamentar ser preocupante desde outubro, quando foi divulgado um vídeo no qual ela aparece abatida e muito magra, o temor por sua vida aumentou desde fevereiro, com os depoimentos de ex-companheiros de cativeiro e versões de moradores locais que afirmam ter visto Ingrid nas aldeias de Guaviare.   (Com agências internacionais)   Texto atualizado às 2h14

Tudo o que sabemos sobre:
Ingrid BetancourtFarcColômbiaLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.