Marinha argentina prepara nova busca por submarino desaparecido

Com auxílio de equipamentos russos, americanos e noruegueses, missão tentará encontrar ARA San Juan em profundidades de até mil metros; mau tempo preocupa

Luiz Raatz, enviado especial de O Estado de S. Paulo

25 Novembro 2017 | 15h31

No décimo dia desde o desaparecimento do submarino ARA San Juan, que sofreu uma explosão no dia 15 de novembro no Atlântico Sul, equipes de resgate apoiadas por especialistas americanos, noruegueses e russos aceleram os preparativos para tentar encontrar a embarcação.

Um minissubmarino americano capaz de vasculhar profundidades de até 600 metros partirá nesta noite do Porto de Comodoro Rivadavia, na Patagônia, acoplado a um navio norueguês adaptado para a tarefa. Espera-se também a chegada à Ushuaia, na Terra do Fogo de um equipamento russo capaz de ratrear profundidades de até mil metros.

O porta-voz da Marinha Enrique Balbi disse na manhã deste sábado, 25, que ainda não há novidades no paradeiro do ARA San Juan e a área de buscas foi restringida para a ação do minisubmarino.

Balbi ressaltou que o submarino fazia uma patrulha na zona econômica exclusiva da costa argentina, onde barcos pesqueiros de outros países costumam agir de maneira ilegal.

A principal preocupação da Marinha para essa nova etapa de resgate é o mau tempo. "As condições estão piores que as de ontem, com ventos fortes e ondas de até três metros na zona", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.