Massacre de 14 pessoas em Honduras é produto de disputa entre criminosos

Segundo autoridades, nem todas as pessoas que morreram em campo de futebol tinham ligações com o crime

Efe,

31 de outubro de 2010 | 17h12

TEGUCIGALPA- As autoridades de Honduras têm indícios de queo massacre de 14 pessoas perpetrado neste sábado em um campo de futebol de San Pedro Sula foi produto de disputas entre "bandidos", mas nem todas as vítimas tinham vínculos com o crime, disse neste domingo, 31, uma fonte oficial.

 

O resultado das primeiras investigações "nos dá a ideia de que foi um enfrentamento entre alguns grupos criminosos" e que poderia existir "algum negócio ilícito no meio de tudo", declarou a jornalistas o vice-ministro de Segurança, Armando Calidonio.

 

"Há indícios de que membros da Mara 18 e um grupo de bandidos de Los Tercereños foram os responsáveis", explicou.

 

A Mara 18 é uma dos grupos mais violentos que operam em Honduras e outros países da América Central, e vive em permanente disputa pelo controle de territórios e venda de drogas com a Mara Salvatrucha, principal rival.

 

Segundo a polícia, nove homens com coletes à prova de balas e capuzes chegaram em dois veículos ao campo de futebol da colônia Felipe Zelaya, em San Pedro Sula, tiraram várias armas de outro automóvel estacionado de no local e dispararam contra as vítimas.

 

Nove pessoas morreram na hora, quatro a caminho do hospital e uma após ser internada.

Tudo o que sabemos sobre:
Hondurasassassinatocriminoso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.