Megaprotesto pró-Evo pede que Senado libere projetos

Mais de 10 mil campesinos queimam bonecos contra oposição, acusando-a de paralisar o país

EFE,

21 de novembro de 2007 | 19h17

Mais de dez mil bolivianos realizaram um protesto na tarde desta terça-feira em El Alto, feudo do presidente do País, Evo Morales, em frente à sede do Parlamento, exigindo que o Senado, dominado pela oposição, desbloqueie vários projetos impulsionados pelo governo.   Campesinos e membros de organizações sociais e sindicais de El Alto caminharam durante várias horas até chegar à praça Murillo, em La Paz, onde estão localizadas as sedes do Congresso e o Palácio do Governo, realizando uma caminhada por várias ruas próximas ao local. Os milhares de manifestantes colocaram fogo e destruíram bonecos que representavam o ex-presidente Jorge Quiroga, líder da direita, o partido opositor Poder Democrático e Social (Podemos) , e de dirigentes da cidade de Sucre, acusando-os de paralisar a Assembléia Nacional Constituinte.   Os movimentos sociais próximos a Morales denunciam que a maioria da oposição ao Senado está barrando diversos projetos governamentais por interesses políticos. Os congressistas abandonaram a sede do Parlamento por instrução da polícia antes da chegada dos protestantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.