Mercosul reitera apoio à Argentina em disputa pelas ilhas Malvinas

Reivindicação foi intensificada após companhias britânicas começarem a prospectar petróleo nas ilhas

Efe,

03 de agosto de 2010 | 19h04

SAN JUAN, ARGENTINA- Os membros do Mercosul e os países associados confirmaram nesta terça-feira, 3, seu apoio à Argentina em sua "legítima reivindicação" pela soberania das Ilhas Malvinas e seu interesse por uma rápida solução para o conflito com o Reino Unido.

 

Em comunicado conjunto divulgado ao término da 39ª cúpula do bloco lembraram "o interesse regional para que a prolongada disputa alcance o mais rápido possível uma solução, em conformidade com as resoluções pertinentes das Nações Unidas" e as declarações dos foros regionais e multilaterais.

 

 

Nesse sentido, rejeitaram "a adoção de medidas unilaterais, que não são compatíveis com o decidido pelas Nações Unidas", de acordo com o documento assinado por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, membros plenos do Mercosul, mais os associados Venezuela, Chile, Bolívia, Colômbia, Peru e Equador.

 

Além disso, os países consideraram que "a pretensão de considerar as ilhas Malvinas, Geórgia do Sul e Sanduíche do Sul como países e territórios aos quais possam ser aplicadas a Quarta Parte do Tratado de Funcionamento da União Europeia e as Decisões de Associação de Ultramar é incompatível com a existência de uma disputa de soberania sobre tais arquipélagos".

 

A disputa entre Argentina e o Reino Unido pela soberania das Ilhas Malvinas, que foi motivo de uma guerra sangrenta entre ambos os países em 1982, se intensificou neste ano quando empresas britânicas começaram a prospecção petrolífera no arquipélago.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.