Mexico defende soberania sobre ilhas tomadas pelos EUA

Devido ao abandono mexicano durante a Segunda Guerra as ilhas foram tomadas pelo Distrito Naval de San Diego

EFE

20 de outubro de 2007 | 02h15

O Governo do México deve voltar a reivindicar a soberania sobre sete ilhas no Oceano Pacífico que foram ocupadas por tropas americanas durante a Segunda Guerra Mundial e nunca foram devolvidas, afirmou nesta sexta-feira o historiador Ricardo Melgar, do Instituto Nacional de Antropologia e História mexicano (INAH). Durante o XI Congresso Internacional de História Regional, em Ciudad Juárez, Melgar lamentou que o Governo mexicano mantenha "arquivado" o destino das ilhas, perto da fronteira com San Diego (EUA). As ilhas San Miguel, Santa Rosa, Santa Cruz, Santa Bárbara, San Nicolás, Santa Catarina e San Clemente "são parte da história mexicana, embora estejam sob controle dos Estados Unidos", disse o pesquisador peruano. Por culpa do abandono do Governo do México, durante a Segunda Guerra Mundial as ilhas foram tomadas pelo 11º Distrito Naval de San Diego, "sob o argumento de estratégia militar", argumentou o historiador. "É um assunto que está 'engavetado'. O Governo não quer tratar disso porque teme complicar as relações com os Estados Unidos", disse. Em declarações à Efe, Melgar afirmou que o tema continua sendo "um foco de tensão" entre os dois países. Mas é improvável que o Governo discuta o tema porque a Chancelaria mexicana aposta "mais na aproximação que na negociação de divergências". As ilhas, acrescentou, "têm um papel importante porque se localizam num ponto estratégico na reconfiguração do mercado mundial". "Debater as ilhas é debater fronteiras, identidade,direitos", concluiu. As ilhas foram descobertas em 1542 pelo explorador espanhol Juan Cabrillo e nela foram encontradas jazidas de petróleo.

Tudo o que sabemos sobre:
México

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.