México descarta guerra interna após morte de líder dos Zetas

O traficante Miguel Angel Treviño, conhecido com Z-40, deve assumir o comando do cartel mexicano Zetas após a morte do líder Heriberto Lazcano, o Lazca, ocorrida num confronto com agentes da Marinha, disse um porta-voz militar nesta quarta-feira.

Reuters

10 de outubro de 2012 | 19h32

Nos últimos seis anos, vários chefes do tráfico foram mortos ou presos em meio à "guerra às drogas" movida pelo presidente Felipe Calderón. Frequentemente, isso abre disputas internas nas quadrilhas do narcotráfico.

Mas o porta-voz da Marinha, José Luis Vergara, disse que isso não deve acontecer com o Zetas, onde Treviño já era visto como homem de confiança de Lazcano.

"Da informação que vemos, não consideramos que haja violência pela luta entre eles mesmos pelo poder, pois achamos que o Z-40 vai assumir a liderança, definitivamente", disse Vergara à Reuters.

Mas Treviño, fanático por corridas de cavalo, não conta com a formação militar de Lazcano, nem é tão sanguinário, o que poderia propiciar uma mudança de estratégia do cartel, um dos mais importantes do México.

Lazcano, de 36 anos, morreu no domingo em um tiroteio em um povoado do norte do México. Horas depois, seu corpo foi roubado da funerária por um grupo armado.

(Reportagem de Lizbeth Diaz)

Tudo o que sabemos sobre:
MEXICOZETASLIDER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.