Henry Romero/Reuters
Henry Romero/Reuters

México diz que explosão da Pemex foi causada por acumulação de gás

Procurador-geral disse que não foram encontrados traços de explosivos no local do incidente

Reuters

05 de fevereiro de 2013 | 07h39

CIDADE DO MÉXICO - A explosão que causou a morte de ao menos 37 pessoas na sede da estatal petrolífera mexicana Pemex na Cidade do México na semana passada foi causada por uma acumulação de gás, informou o governo na noite de domingo.

O procurador-geral Jesús Murillo disse que não foram encontrados traços de explosivos no local do incidente, o mais recente em uma série de problemas de segurança na empresa. O presidente do México, Enrique Peña Nieto, prometeu realizar uma grande reformulação na Pemex.

"Fomos capazes de determinar que a explosão foi causada por uma acumulação de gás na base do edifício", disse Murillo em entrevista coletiva. Segundo ele, o gás seria o metano. "Isso causou uma abalo na estrutura dos andares, que primeiro foram jogados para cima e depois caíram, o que foi a principal causa das mortes no prédio", acrescentou.

A explosão de quinta-feira no prédio que faz parte do complexo da Pemex no centro da Cidade do México despertou especulações sobre um possível ato de sabotagem. A explosão também gerou novas críticas à estrutura de segurança da companhia.

Motivo de orgulho nacional por anos, a Pemex tem resistido a modernizações. A companhia tornou-se um teste para a capacidade do México de reformar a economia desde que a produção de petróleo começou a afetar outros setores da economia.

Tudo o que sabemos sobre:
PemexMéxicoacumulação de gás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.