México pede que Colômbia indenize vítimas de ataque às Farc

Chancelaria mexicana afirma que apoiará os familiares dos quatro estudantes mortos na incursão no Equador

Agência Estado e Associated Press,

28 de março de 2008 | 11h56

O governo do México pediu à Colômbia uma indenização aos familiares de quatro estudantes mexicanos mortos e a uma mexicana ferida durante uma operação do exército colombiano em solo equatoriano. O pedido se refere ao ataque realizado em 1 de março, em território equatoriano, no qual foi morto o então número dois das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Raúl Reyes. Veja também:Uribe autoriza troca de Ingrid Betancourt por rebeldes das FarcEstado de saúde de Ingrid é delicado, diz defensor públicoPor dentro das Farc Entenda a crise   Histórico dos conflitos armados na região    A chancelaria mexicana informou na noite de quinta-feira, 28, aos familiares dos mexicanos sobre a demanda feita ao governo colombiano. As forças colombianas bombardearam e posteriormente realizaram uma operação por terra em um acampamento das Farc. Este ficava em território equatoriano, a dois quilômetros da fronteira entre os países. Além de Reyes, morreram no ataque mais 24 pessoas, incluindo os quatro cidadãos mexicanos. Segundo o governo do presidente Álvaro Uribe, um soldado colombiano também morreu. Além disso, o México garantiu que dará o apoio necessário aos familiares das vítimas. "O governo do México solicitou ao governo colombiano a concessão de uma compensação em favor da cidadã mexicana ferida e das famílias dos quatro mexicanos que perderam a vida", informou a chancelaria, em comunicado. Após realizarem um protesto em frente à embaixada da Colômbia no México, os pais dos estudantes mortos e familiares da mulher ferida se reuniram com funcionários da chancelaria mexicana. A reunião foi presidida, segundo o órgão, pelo subsecretário para a América Latina, Gerónimo Gutiérrez. Os estudantes Juan González, Fernando Franco, Verónica Natália Velázquez e Soren Ulises Avilés morreram na incursão colombiana. Lucía Morett ficou ferida e se recupera em um hospital militar de Quito. O México reiterou a condenação à incursão militar colombiana dentro do território do Equador. Na Colômbia, o ministro das Relações Exteriores, Fernando Araújo, disse ter solicitado à chancelaria mexicana uma investigação sobre os laços entre esses cidadãos e as Farc. Araújo também afirmou que a Colômbia está disposta a reconhecer suas obrigações "quando houver uma decisão judicial que obrigue a isso".

Tudo o que sabemos sobre:
EquadorColômbiaMéxicoFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.