México volta a pedir extradição de Zhenli Ye Gon

O chinês é acusado de narcotráfico

EFE

23 de dezembro de 2007 | 02h41

A Procuradoria mexicana enviou "informação adicional" aos Estados Unidos para reforçar o pedido de extradição do empresário chinês Zhenli Ye Gon apresentado em julho, informaram neste sábado fontes oficiais. Em comunicado, a Procuradoria Geral da República (PGR) disse que comunicou ao Departamento de Estado americano que o México quer a extradição do empresário, acusado de conspiração para tráfico de drogas. Há dois dias o juiz federal Emmet Sullivan negou à defesa de Zhenli a liberdade mediante fiança. Ele deu um prazo de 90 dias para que a promotoria americana encontre mais provas contra o empresário nascido na China e naturalizado mexicano. A Secretaria de Relações Exteriores mexicana afirmou, baseada em suas últimas investigações, que Zhenli Ye Gon "liderava uma organização transnacional dedicada a introduzir ilegalmente no México acetato de efedrina e acetato de pseudoefedrina, químicos essenciais para a produção de metanfetaminas". A pista que levou a Justiça mexicana a Zhenli surgiu em dezembro de 2006, após a apreensão no porto de Lázaro Cárdenas de quase 19,5 toneladas de pseudoefedrina. O suposto narcotraficante fugiu mas foi detido dia 23 de julho em Rockville (EUA) pela Polícia americana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.