Micheletti declara toque de recolher em Honduras

Presidente interino proíbe manifestações favoráveis a Manuel Zelaya

Efe

16 de julho de 2009 | 01h02

O presidente interino de Honduras, Roberto Micheletti, voltou a impor o toque de recolher no país, a partir da meia-noite desta quinta-feira, 16, alegando que há "grupos que insistem" em causar distúrbios, depois da destituição do presidente eleito, Manuel Zelaya.

 

Veja também:

linkMicheletti se diz disposto a renunciar para Zelaya não retornar

linkPesquisa aponta vantagem de candidato opositor em Honduras

linkEUA pede 'solução pacífica' a agente políticos de Honduras

linkZelaya diz que povo de Honduras tem 'direito à insurreição'

mais imagens Imagens de protestos em Honduras

especialEntenda a origem da crise política em Honduras

lista Perfil: Eleito pela direita, Zelaya fez governo à esquerda

lista Ficha técnica: Honduras, um país pobre e dependente dos EUA 

A imposição foi divulgada na noite de quarta-feira, em rede nacional de rádio e TV, e vai vigorar entre a meia-noite e as 5h00 de quinta-feira.

 

Micheletti se pronunciou depois da convocação de dois dias de protestos, a partir desta quinta, por organizações simpatizantes a Zelaya. A medida já foi aplicada no último domingo, 12.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.