Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Arnulfo Franco/AP
Arnulfo Franco/AP

Micheletti e Zelaya chegam a acordo em Honduras

Congresso discute a volta do líder deposito ao poder; Estados Unidos vão apoiar as eleições no país

Efe

30 de outubro de 2009 | 04h36

A comissão de diálogo do presidente de fato de Honduras, Roberto Micheletti, assinou na quinta-feira, 29, um acordo com os representantes de Manuel Zelaya para dar ao Congresso a tarefa de decidir sobre a volta do líder deposto ao poder.

 

O anúncio foi feito pelo secretário de Assuntos Políticos da Organização dos Estados Americanos (OEA), Víctor Rico, em um breve comparecimento perante a imprensa junto ao subsecretário de Estado

americano para a América Latina, Thomas Shannon.

  

O diálogo "chegou a uma feliz conclusão. Há alguns minutos as delegações designadas para este diálogo assinaram a ata e os textos correspondentes", comentou Rico.

  

"Foi de acordo das duas comissões que este tema (a restituição de Zelaya) seja resolvido pelo Congresso Nacional", disse, por sua vez, o chefe da comissão de Micheletti, Armando Aguilar.

  

Aguilar ressaltou, porém, que ainda "não se falou de prazos" para que o Congresso tome a decisão sobre o assunto.

 

O acordo, decisivo para superar a crise política, foi assinado pelos membros das duas delegações ao fim de quase 12 horas de diálogo. As conversas foram reatadas hoje após praticamente uma

semana estagnadas por desaordos sobre a restituição de Zelaya.

 

EUA apoia a realização das eleições em Honduras

  

O subsecretário de Estado americano para a América Latina, Thomas Shannon, anunciou que os Estados Unidos apoiarão as eleições de 29 de novembro em Honduras, após o presidente Roberto Micheletti e o líder deposto Manuel Zelaya terem chegado a um acordo.

 

"Os EUA vão acompanhar Honduras em suas eleições de 29 novembro",disse Shannon à imprensa, depois de anunciar a assinatura do acordo entre as comissões de Zelaya e Micheletti para que o Congresso decida sobe a volta do líder deposto ao poder.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.