Micheletti manda recado a Hilary para encontro com Zelaya

Presidente empossado após o golpe militar tenta influir a opinião internacional para se manter no poder

Efe

07 de julho de 2009 | 05h34

O novo presidente de Honduras, Roberto Micheletti, disse esperar que a Secretária de Estado dos EUA, Hilary Clinton, diga ao presidente deposto, Manuel Zelaya, que deve prestar contas por seus "atos ilegais", durante o encontro entre estes dois últimos, agendado para esta terça-feira, 7, em Washington.

 

"Confio que a secretária Clinton reconhecerá que a supremacia da lei é a razão pela qual estamos hoje aqui e que o senhor Zelaya deve prestar contas por sua inconstitucionalidade e por outros atos ilegais, por meio do devido processo de apuração" afirmou Micheletti, em um comunicado dirigido à nação hondurenha.

 

O presidente, que tomou o poder no dia 28 de junho, quando os militares expulsaram Zelaya do país, disse que apoia a intenção de Hilary Clinton "de avançar no diálogo sobre a atual situação". "Espero que a secretária (Clinton) reforce ao senhor Zelaya que a democracia e a segurança são tão importantes para nós como os são para os Estados Unidos", acrescentou Micheletti.

 

Por seu lado, Zelaya, que embarca ainda nesta quarta para os EUA, afirmou que na reunião que terá com a secretária falará sobre o cumprimento dos preceitos da Carta Democrática para o Sistema Interamericano, especialmente no que se refere ao respeito aos governos instituídos pela vontade popular.

 

Também disse que falará sobre "as sanções que estes regimes totalitários devem provocar no plano internacional, com o fim de que golpes como este acontecido em Honduras não voltem a se repetir em outros países, em nenhuma parte do mundo."

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasZelayagolpeMichelettiHilary

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.