Micheletti se diz disposto a renunciar para Zelaya não retornar

Presidente de facto de Honduras afirma que poderia tomar decisão 'para que haja paz e tranquilidade no país'

Agência Estado e Associated Press,

15 de julho de 2009 | 21h12

O presidente interino de Honduras, Roberto Micheletti, expressou na noite desta quarta-feira, 15, que está disposto a renunciar, se isso restabelecer a paz em Honduras, mas com a condição de que não regresse ao país o presidente deposto por um golpe militar em 28 de junho, José Manuel Zelaya.

 

Veja também:

linkPesquisa aponta vantagem de candidato opositor em Honduras

linkEUA pede 'solução pacífica' a agente políticos de Honduras

linkZelaya diz que povo de Honduras tem 'direito à insurreição'

mais imagens Imagens de protestos em Honduras

especialEntenda a origem da crise política em Honduras

lista Perfil: Eleito pela direita, Zelaya fez governo à esquerda

lista Ficha técnica: Honduras, um país pobre e dependente dos EUA 

 

"Se em algum momento, a decisão para que haja paz e tranquilidade no país, sem a volta, que fique registrado, do ex-presidente Zelaya, estou disposto a deixar o cargo", disse aos jornalistas durante a posse do ministro interino de Governadoria e Justiça, Oscar Raúl Matute.

 

"Membros da nossa comissão que foram aos Estados Unidos fizeram uma proposta", acrescentou. A segunda rodada de negociações entre representantes de Micheletti e Zelaya sobre o impasse político em Honduras foi marcada para o sábado na Costa Rica. O diálogo tem a mediação do presidente da Costa Rica, Oscar Arias, prêmio Nobel da Paz.

 

Nesta quarta-feira, aconteceram em Tegucigalpa grandes manifestações a favor de Zelaya, com milhares de pessoas protestando por cinco horas nas ruas da capital hondurenha.

Tudo o que sabemos sobre:
Hondurasgolpe de Estado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.