AP
AP

Michelleti propõe que ele e Zelaya renunciem à presidência

Delegação do presidente de fato indica que irá esperar durante toda sexta por uma resposta do líder deposto

Efe,

23 de outubro de 2009 | 18h55

A comissão de Roberto Micheletti voltou a dizer que o presidente de fato de Honduras está disposto a renunciar se o governante deposto, Manuel Zelaya, desistir do poder, em uma contraproposta à anunciada nesta sexta-feira com o propósito de retomar o diálogo. Em oportunidades anteriores, esta mesma proposta já foi rejeitada.

  

A contraproposta ocorre depois que Zelaya encerrou as negociações com o regime de fato nesta madrugada, e que nesta sexta-feira acusa Micheletti de zombar do diálogo.

 

A declaração de Micheletti indica que a delegação esperará o dia todo por uma resposta de Zelaya, que finalizou as negociações após a meia-noite e deu um ultimato a Micheletti, para que aceite a restituição de Zelaya.

 

 

 

Veja também:

link Novo prazo acaba e Zelaya encerra diálogo em Honduras

link EUA pedem que Zelaya e Micheletti entrem em 'acordo já'

especialCronologia do golpe de Estado em Honduras

 

"Os interesses de Micheletti e Zelaya devem ser secundários ao interesse de nossa nação", disse Vilma Morales, porta-voz da comissão do líder de fato.

 

A comissão de Micheletti expressou enorme surpresa porque um negociador de Zelaya, por telefone, classificou como positiva e na direção correta à proposta apresentada na quinta-feira, mas que acabou sendo rejeitada.

 

"Não sabemos o que ocorreu entre esse telefonema e o momento em que a proposta foi discutida com Zelaya. Só podemos perceber que o interesse pessoal foi priorizado", acrescentou.

 

Zelaya considera que deve ser o Congresso Nacional o responsável por decidir a questão, enquanto o presidente de fato insiste que quem deve fazê-lo é a Corte Suprema de Justiça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.