Milhares de venezuelanos protestam contra reforma constitucional

Dezenas de milhares de venezuelanosprotestaram no sábado contra a reforma constitucional propostapelo presidente Hugo Chávez, afirmando que ela abre caminhopara um regime autoritário. Dominado por seguidores de Chávez, o Parlamento aprovou opolêmico projeto de reforma e, em seguida, entregou o documentoao Conselho Nacional Eleitoral (CNE), que decidiu realizar umreferendo no dia 2 de dezembro para ratificar as mudanças. "Os venezuelanos precisam se dar conta da armadilha queestão armando contra a gente neste momento", afirmou OrlandoOrtiz, presente na manifestação, ao canal privado de televisãoGlobovisión. Durante o protesto, que contou com razoável presença departidos opositores, milhares de pessoas estenderam uma grandebandeira com a mensagem "Não à reforma". Nos edifícios vizinhos, alguns moradores puseram nasjanelas a bandeira do país em rechaço ao projeto. Enquanto isso, em Caracas e em outras cidades do país,simpatizantes de Chávez, vestidos de vermelho, fizeramcarreatas de apoio à reforma. A Igreja Católica, grupos estudantis, empresários epartidos de oposição alegam que a reforma atenta contradireitos básicos dos cidadãos e concentra poderes na mão dopresidente. Um dos pontos mais criticados é o fim do limite para onúmero de vezes que um presidente pode ser reeleito. Chávez, por seu lado, argumenta que a reforma da atualConstituição, escrita e aprovada durante o seu governo, énecessária para levar o país a um modelo socialista. (Por Deisy Buitrago)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.