Militar seqüestrado pelas Farc pede a Ingrid Betancourt que não se renda

O suboficial manifestou seu pedido em um vídeo divulgado, que se constitui uma prova de vida de Pablo

EFE

22 de junho de 2008 | 03h00

O cabo do Exército colombiano, Pablo Emilio Moncayo, pediu à ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, seqüestrada como ele pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que não se renda. O suboficial manifestou seu pedido em um vídeo divulgado neste sábado, que se constitui uma prova de vida de Pablo, e que foi revelado por sua família que já o tinha em poder há dois meses. O militar, seqüestrado em dezembro de 1997 em um ataque das Farc à base militar de comunicações da colina Patascoy, perto da fronteira com o Equador, diz a Ingrid que "não se renda, pois tem muitas coisas pelas quais lutar, pelas quais viver". Em sua mensagem, Pablo, que em dezembro completará 11 anos seqüestrado pelas Farc, diz: " Envio à doutora Ingrid uma mensagem de força, convidou-a a continuar, a se levantar, a se ajudar, porque só os que são amados, podem dar amor. Só são fonte de paz os que estão em paz consigo mesmo". O vídeo foi divulgado pouco tempo depois de outro, desta vez do deputado Sigifredo López, seqüestrado pelas Farc desde 2002. Nele, o político deu prazo ao Governo colombiano e à guerrilha para chegarem a um acordo humanitário.

Mais conteúdo sobre:
FARC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.