Militares peruanos vivem 2º dia de conflito com supostos terroristas

Região ainda abriga remanescentes do grupo Sendero Luminoso

Efe,

20 de julho de 2010 | 02h01

LIMA, PERU - As Forças Armadas peruanas mantiveram na segunda-feira, 19, o segundo confronto em menos de 24 horas com supostos terroristas na região de Ayacucho (sul do país), onde morreram dois supostos integrantes do grupo terrorista Sendero Luminoso no primeiro dos enfrentamentos.

De acordo com comunicado do Comando Conjunto das Forças Armadas, o segundo confronto aconteceu às 7h20 de segunda pelo horário local (9h20 em Brasília), e terminou com a captura de uma pessoa que não levava documentos e foi colocada à disposição das autoridades. O texto não informa sobre mortos ou feridos.

Na região dos conflitos há remanescentes do Sendero Luminoso, pessoas que pertencem ao grupo que ignorou o cessar-fogo proclamado pelo fundador da organização, Abimael Guzmán, pouco depois de sua detenção, em 1992.

O primeiro confronto, no domingo, terminou com dois supostos terroristas mortos, sem baixas entre os militares.

Há duas frentes da organização que continuam ativas. Uma delas fica na parte alta do rio Huallaga, às ordens do histórico "camarada Artemio", que diz ser fiel ao ideal de Guzmán, embora discorde do cessar-fogo.

O outro, que seria o protagonista dos confrontos destes dias, é comandado pelo chamado "camarada José", e rompeu definitivamente com Guzmán, a quem consideram traidor.

Os dois grupos, que segundo especialistas somam menos de 200 militantes ativos, atuam junto a grupos ligados ao narcotráfico, e por isso o governo os qualifica como "narcotraficantes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.