Mineiros expulsos danificaram Amazônia, diz Venezuela

Deportação de 400 mineiros colombianos e brasileiros havia aumentado tensões entre países vizinhos

Reuters,

02 de dezembro de 2009 | 15h02

A Venezuela justificou nesta quarta-feira, 2, a expulsão de mineiros ilegais por danificarem uma região da Amazônia e acusou a Colômbia de explorar o caso com uma "guerra psicológica" contra o governo de Hugo Chávez.

No mais recente incidente entre os dois vizinhos sul-americanos, a Colômbia disse nesta semana que soldados venezuelanos expulsaram mais de 400 colombianos e brasileiros ilegais que trabalhavam em minas de ouro clandestinas. O ministro da Defesa da Colômbia, Gabriel Silva, classificou a ação de uma violação dos direitos humanos dos mineiros.

 

Já o vice-presidente venezuelano, Ramon Carrizalez, defendeu a medida, dizendo que os mineiros estavam danificando o parque nacional de Yapacana, na Amazônia venezuelana. "Isso não é como o governo colombiano está tentando retratar, dizendo que uma mina foi fechada e um monte de trabalhadores miseráveis ficou desempregado", disse Carrizalez. "A mineração é proibida no Estado do Amazonas. Eles estão usando essas pessoas para fins políticos", completou.

Venezuela e Colômbia estão em uma disputa diplomática há vários meses, que vem afetando o comércio bilateral de 7 bilhões de dólares anuais e elevando temores de violência ao longo da fronteira.

"É absurdo que uma atividade de rotina neste país, como a expulsão de mineiros ilegais, pessoas que estão destruindo o ambiente, seja usada como parte de uma guerra psicológica e de mídia, da intimidação e ameaça à nossa nação", acrescentou Carrizalez em comentários divulgados pela mídia estatal.

A exploração ilegal do ouro é comum em partes da Venezuela e da Colômbia, onde mineiros costumam usar jatos de água para explodir jazidas e filtrar ouro com mercúrio, deixando um rastro de áreas desmatadas e rios e riachos poluídos.

Embargo ilegal

Na quarta-feira, a Colômbia acusou a Venezuela de realizar um "embargo ilegal" contra o país andino com a decisão de restringir o comércio bilateral. "Na Venezuela existe um embargo contra a economia colombiana, e é um embargo ilegal, injusto", disse o presidente colombiano, Alvaro Uribe.

A determinação está atrasando a recuperação da economia colombiana, que na primeira metade do ano entrou em recessão. "Se queixaram tanto do embargo contra Cuba e agora a Venezuela faz um embargo contra a Colômbia. Está criando aqui um Muro de Berlim contra a Colômbia", acrescentou Uribe.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaVenezuelafronteiramineiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.