Ministra da França: morte de líder das Farc seria boa notícia

A França espera que a anunciada morte dolíder das Farc leve à libertação da refém franco-colombianaIngrid Betancourt, afirmou neste domingo a ministra dosDireitos Humanos do país, Rama Yade. O governo colombiano anunciou no sábado que o líderhistórico das Farc, Manuel Marulanda, morreu, mas não deuevidências firmes para a afirmação. "Obviamente, se essa informação for confirmada, nós areceberíamos bem... porque isso pode ser o fim, ou o começo dofim, do calvário de Ingrid Betancourt", disse a ministra ementrevista a uma rádio. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, pediu em inúmerasocasiões a libertação da refém e o envio de uma equipe médicapara a Colômbia no mês passado para tentar chegar a Betancourt,que pode estar doente. Os pedidos foram recusados pelas Farc. "A informação (sobre a morte de Marulanda) ainda não éoficial e ainda não foi confirmada pelas Farc, então eu prefirome manter prudente neste momento", acrescentou Yade, que játeve problemas por comentários anteriores. (Por Crispian Balmer)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.