Ministro equatoriano admite que se reuniu com líder das Farc

O ministro coordenador da Segurança doEquador, Gustavo Larrea, reconheceu na segunda-feira que sereuniu em janeiro com o líder das Farc Raúl Reyes paraadministrar a libertação de reféns em poder da guerrilhacolombiana. Larrea, uma das autoridades mais influentes do círculopolítico do presidente Rafael Correa, garantiu que na conversa--que não aconteceu nem no Equador nem na Colômbia--, não foiexplorado nenhum tipo de acordo político com as Forças ArmadasRevolucionárias da Colômbia. "Isso é uma mentira (...) O que temos dito a eles é que nãoqueremos nos envolver no conflito da Colômbia. Não existiunenhum acordo", disse Larrea ao portalwww.ecuadorinmediato.com. Larrea ficou no olho de um furacão diplomático depois que aColômbia o acusou de manter contatos com as Farc, queincluiriam compromissos para avalizar politicamente sua luta,em meio à disputa desencadeada pelas condições que rodeiam amorte de Reyes. O ministro declarou ainda que o Equador busca formar umacomissão internacional para investigar a morte de Reyes e aagressão territorial sofrida pelo país durante a operação daColômbia no fim de semana. Ele disse que foram convidados chanceleres de vários paísespara integrarem uma missão que "verificará se os bombardeiosforam em território equatoriano e se em definitivo fomosvítimas de uma agressão". (Reportagem de Carlos Andrade García)

REUTERS

03 de março de 2008 | 20h06

Tudo o que sabemos sobre:
EQUADORMINISTROADMITE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.