Ministro venezuelano do Interior renuncia por motivos pessoais

O ministro venezuelano do Interior,Ramón Rodríguez Chacín, disse na segunda-feira que renunciou aseu cargo por motivos pessoais, deixando o presidente do país,Hugo Chávez, sem um de seus aliados mais fiéis a poucos mesesde importantes eleições regionais. Chávez nomeou para o cargo, em caráter interino, ovice-ministro da Segurança Cidadã da Venezuela, Tarek ElAissami. Chacín assumiu o comando do ministério em janeiro, logodepois de liderar a fracassada "operação Emmanuel", por meio daqual a Venezuela tentou garantir a libertação de um grupo dereféns mantidos sob o poder da guerrilha Forças ArmadasRevolucionárias da Colômbia (Farc). O caso acabou sendoresolvido semanas depois. "Por motivos estritamente pessoais, coloquei meu cargo àdisposição do Presidente da República, nosso líder, e nossoComandante-em-Chefe decidiu que o cargo passará para meucamarada e amigo Tarek El Aissami", disse Chacín em umaentrevista coletiva. Durante sua segunda passagem pela pasta, o ex-capitão denavio tentou enfrentar os altos índices de criminalidade daVenezuela e mostrar resultados na luta contra o narcotráfico. No fim de novembro, a Venezuela realiza eleições regionais.Esse pleito será o primeiro a ocorrer desde que Chávez viu-sederrotado no final do ano passado, em um referendo para alterara Constituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.