AP
AP

Missão brasileira no Haiti teve início após revolta de 2004

Dos 7 mil soldados da Missão das Nações Unidas presentes no país caribenho, 1.300 são brasileiros

Agência Estado,

13 de janeiro de 2010 | 08h23

O Brasil comanda a Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) desde 2004, após um período de insurgência e a deposição do presidente Jean-Bertrand Aristide.

 

Veja também:

linkVolta de 130 soldados no Haiti estava prevista para hoje

linkVários funcionários da ONU estão desaparecidos no Haiti

linkTerremoto de sete graus causa grande destruição no Haiti

som Representante da OEA no Haiti fala sobre o terremoto

som Sismólogo alerta para novos tremores no Caribe 

 

O grupo assumiu a função de restaurar a segurança no país - por exemplo, com o combate às gangues armadas-, além de ações de fortalecimento das instituições e de defesa dos direitos humanos. A missão tem atualmente cerca de 7 mil soldados, 1.300 deles brasileiros.

 

Em outubro de 2009, a Organização das Nações Unidas (ONU), havia decidido estender a missão de paz no Haiti alegando que a situação no país caribenho ainda constituia uma ameaça à paz e à segurança internacionais.

Tudo o que sabemos sobre:
missãoONUBrasilHaiti

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.