Morales confirma convocação de referendo constitucional

O presidente da Bolívia, Evo Morales,confirmou na sexta-feira a polêmica convocação de um referendoconstitucional em 4 de maio, um desafio aberto à oposiçãoconservadora. A lei de convocação, aprovada na quinta-feira à noite emsessão do Congresso controlado pelo governo, foi promulgada porMorales. O presidente, firme aliado do líder venezuelano HugoChávez, assinou também uma lei que desautoriza referendosdepartamentais sobre autonomia convocados para 4 de maio tambémpelos governadores opositores do rico distrito oriental deSanta Cruz e outros três departamentos. "Hoje sinto que novamente o povo boliviano faz história",disse Morales no ato que marcou o lançamento da campanha pelo"sim" à nova Constituição "plurinacional" com a qual pretende"refundar" o país, dando mais poder aos indígenas enacionalizando a economia. A oposição não parecia disposta a fazer campanha pelo "não"e anunciou que tentará impedir o referendo nacional,prolongando a tensão que nos dois últimos meses impediu umacordo político para compatibilizar a mudança constitucionalcom as demandas de autonomia. A autonomia de departamentos, municípios, províncias ecomunidades indígenas não é permitida pela atual Constituição,mas está incluída na nova carta magna, aprovada em dezembro poruma assembléia dominada pelo governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.