Morales crê em acordo com oposição boliviana nas próximas horas

O presidente boliviano, EvoMorales, disse neste sábado confiar que a participação deenviados internacionais ao diálogo com a oposição permitirá umacordo para por fim à crise política que polarizou o país. As conversas acontecem em Cochabamba com oito dos novegovernadores e participação de mediadores das Nações Unidas, daOrganização dos Estados Americanos (OEA), da União de NaçõesSul-americanas (Unasul) e da Igreja Católica. "Tenho muita esperança que a presença da OEA, da ONU, daUnião Européia, especialmente dos países da América do Sul,pode flexibilizar alguns governadores para chegar a acordosesta tarde, porventura amanhã possamos terminar", disse opresidente indígena de 48 anos em uma coletiva de imprensa. "É meu grande desejo, tenho a esperança", confirmouMorales, que anunciou que viajará na segunda-feira à tarde aNova York para participar da assembléia das Nações Unidas. O mandatário busca um consenso que lhe autorize a submetera um referendo uma nova Constituição socialista, com a qualpretende aprofundar a nacionalização da economia, dar maispoder à maioria indígena e entregar propriedades doslatifundiários a camponeses pobres, pelo que enfrenta uma forteresistência dos distritos opositores do leste do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.